Rumo a Pequim… ou não.

10 agosto, 2008

Brasil e Argentina (principalmente) estão protagonizando uma briga contra clubes europeus para a liberação de jogadores para a competição de futebol dos Jogos Olímpicos de Pequim. Dois nomes chamam a atenção pelo poder de decisão que teriam se participassem dos jogos. Robinho e Messi.

O primeiro, acima de 23 anos, mudaria o esquema de jogo do brasil se fosse convocado, recuando o que hoje tem o status de mais importante do time, Ronaldinho Gaúcho. O segundo, ainda sub-23, já é cotado para ser um dos melhores jogadores do mundo neste ano, e com certeza traria mais alegria e técnica ao meio campo argentino.

Schalke 04 e Werder Bremen acionaram o Tribunal Arbitral do Esporte por Rafinha e Diego, dois prováveis titulares da seleção de Dunga, que se apresentaram sem autorização de seus clubes. A decisão do TAS só sairá após o pronunciamento da FIFA, por meio da Comissão do Estatuto do Jogador, nesta terça, que decidirá a posição do órgão máximo com relação às convocações. A contradição da FIFA na questão da liberação dos jogadores para o torneio olímpico, dá força aos clubes nesta batalha. Pra quem não sabe, a FIFA determina que os clubes são obrigados a liberar seus jogadores somente em torneios do calendário oficial da entidade, entre os quais não constam os Jogos Olímpicos, porém através de seu presidente, anunciou que a liberação dos atletas menores de 23 anos é obrigatória. A partir de terça-feira, novos esclarecimentos virão e à medida que os jogos se aproximam, os clubes ficam mais fortes na batalha. Resta torcer pra que o futebol não fique prejudicado nessa confusão toda.

Abraços Fraternos. E quase Olímpicos.

Douglas Ponso.