A história se repete.

Turquia avança heróicamente

Viena assistiu nesse fim de tarde/início de noite a mais um milagre turco. O terceiro seguido na competição. Após 90 minutos em um 0x0 sem emoção, com duas equipes que sentiam o medo da responsabilidade de pela primeira vez chegar a uma semi-final de EURO e sem criatividade e uma prorrogação aparentemente chata, encaminhava-se pros pênaltis um dos jogos mais sem graça da EURO 2008. Até que a falha de saída do goleiro turco Rüstü, o cruzamento de Modric e a cabeçada de Klasnic, aos 14 do segundo tempo da prorrogação mudaram essa perspectiva. Slaven Bilic, o técnico croata, ex-jogador que atuou no único encontro entre Croácia e Turquia na EURO 96, comemorava como se o gol fosse de sua autoria.

Parecia tudo acabado, já anunciava-se a semi-final “revanche” da Alemanha contra a Croácia.

Mas a Turquia…

A Turquia jamais se dá por vencida. Equipe que luta até o último segundo. Time que só pára de jogar ao apito final. Nos acréscimos do segundo tempo da prorrogação, após chutão pra frente de Rüstü, Semih domina e marca com um belo chute no ângulo direito do goleiro Pletikosa. Para desespero de Slaven Bilic, que pedia uma substituição antes da cobrança do derradeiro tiro livre por Rüstü.

Terminado o tempo extra, viriam as penalidades, que passaram de impossíveis a inevitáveis em 2 minutos. Os croatas sentindo o peso da possibilidade de perder a classificação praticamente certa e os turcos vendo de perto o que lhes parecia inalcançável.

Desespero do lado quadriculado. Festa dos vermelhos.

Pênaltis

Luka Modric, o talento e cabeça pensante do meio-campo croata, abriu a série de cobranças. Bola pra fora. Ali começou a se desenhar o “milagre turco”. Após mais 2 cobranças desperdiçadas e uma convertida e os 100% de aproveitamento dos turcos, com o renascimento do criticado Rüstü, decidiu-se a semi-final número 1. Turquia e Alemanha, dia 25.

A Croácia volta pra casa com a sensação de que faltou pouco. Mas era o pouco que poderia ter feito muito por ela.

O Cara: Semih. Entrou dando mais poder ofensivo à Turquia e marcou um belo gol no último lance da partida, além de converter o seu pênalti. Decisivo.

Pra esconder a cara: Olic. Perdeu um gol sem goleiro no primeiro tempo, não conseguiu se redimir e seu substituto Klasnic foi quem marcou o gol croata. Péssima partida.

Amanhã comentários sobre a partida da sensação Holanda contra a surpreendente Rússia.

Abraços fraternos.

Douglas Ponso

Anúncios

5 Responses to A história se repete.

  1. Juninho chato disse:

    Não vi esse não. Achei que seria um jogo chato e fraco, como dito acima. Amanhã eu duvido que dê zebra. Holanda nas semi-finais.

  2. Juninho Rios disse:

    Jogo mais emocionante da Euro, mesmo que só nos últimos 5 minutos da prorrogação, foi o mais emocionante só por isso.

    Turquia parece o Fluminense, sempre de virada e metendo gol no finalzinho.

    Será que aprontam contra a Alemanha, o buraco é mais embaixo hahahahaha

    abraço

  3. Juninho Rios disse:

    Amanhã coloca,

    O CARA: Sneider

    PRA ESCONDER A CARA: O time russo uauhauhaua

  4. Juninho Rios disse:

    O CARA: O time russo
    PRA ESCONDER A CARA: Sneider

    agora siim, HAUhuahUAhUAhuAHuHAuA

  5. Fernando disse:

    euro 96 :O
    krak q memoria

    douglas ja perdeu penalti sem goleiro tb shuahusahusa u.u
    abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: